Como pensam os CMOs diante de tantos desafios diários

Os avanços tecnológicos estão mudando a configuração dos mercados em uma velocidade nunca antes vista, fazendo com que pequenas startups sejam capazes de ameaçar grandes companhias estabelecidas do dia para a noite. Aos CMOs (Chief Marketing Officer) resta o desafio de posicionar as empresas nessa era disruptiva. Uma nova pesquisa da IBM ouviu 753 desses executivos ao redor do mundo, incluindo o Brasil, para mostrar o que os profissionais de liderança pensam sobre a “destruição criativa” e sobre o engajamento dos consumidores.

Já está claro que as fronteiras – e barreiras – que separam as indústrias estão desmoronando. Essa é a principal tendência na avaliação do grupo, apontada por 67% dos respondentes. Em seguida, aparece a redistribuição do poder de negociação dos consumidores (49%) e a possibilidade de trabalhar de “qualquer lugar” (48%). O ponto principal – a convergência de diferentes setores – cria novas oportunidades de crescimento, mas para aproveitá-las é preciso mudar o foco dos produtos e serviços em prol de uma experiência do consumidor intersetorial.

O mesmo cenário, entretanto, também impõe desafios, já que os CMOs preveem mais competição por parte de novos concorrentes em indústrias contíguas. Isso ocorre à medida que os empreendimentos aumentam seu core business, expandindo para áreas adjacentes. O resultado é que CMOs estão preocupados com forasteiros invadindo o seu espaço. Em 2013, essa apreensão alcançava 54% dos entrevistados e, no levantamento de 2015, esse índice cresceu para 60%.

Momento de se reinventar
A preocupação é bem pertinente em tempos que mercados tradicionais, como o de táxis e o hoteleiro, foram transformados pela chegada de concorrentes relativamente inesperados, tais como Uber e Airbnb – citando apenas os exemplos mais óbvios. O poder disruptivo das novas tecnologias é evidente e não pode mais ser ignorado. Para os CMOs, soluções mobile (61%), a internet…

Fonte: Mundo do Marketing

, ,